Princípios Jurídicos e Pós-Positivismo

Princípios Jurídicos e Pós-Positivismo - A Formação das Decisões Judiciais no Direito Brasileiro - De Acordo com a Legislação Brasileira

Ana Carolina Borges de Oliveira

Hojear

Versión impresa

¡Actualmente estamos vendiendo solo libros electrónicos debido a la pandemia de Covid-19!

Versão digital

Disponible para: Android iOS
por € 7,20 + IVA Añadir a la cesta


Detalles

Autor/Autores: Ana Carolina Borges de Oliveira

ISBN v. impressa: 978989712659-8

ISBN v. digital: 978853629307-3

Encuadernación: Tapa blanda

Número de páginas: 144

Publicado el: 09/12/2019

Idioma: Português Brasileiro

Sinopsis

Trata-se de estudo em que se pretende verificar se é pos­sível a adoção das teorias dos princípios criadas por Ronald Dworkin e Robert Alexy pelo neoconstitucionalismo ao di­reito brasileiro, tendo em vista que esses dois autores são considerados os grandes “pais fundadores” desse recente movimento jurídico. Também se pretende analisar as possíveis consequências no ordenamento jurídico brasileiro de tal importação. Nesse sentido, indaga-se: a ideia de princípios adotada pela teoria neoconstitucionalista brasileira é a mesma dos direitos norte-americano e alemão, já que aquela buscou sua origem e fundamento nessas? Para tanto, busca-se na análise do processo histórico de formação das duas tradições jurídicas, inglesa e romano-germânica, iden­tificar traços típicos de cada uma delas e, assim, averiguar a possibilidade de importação de cada um desses modelos para a tradição jurídica brasileira. Assim, foi possível verificar que a teoria de princípios adotada por Dworkin não pode ser adotada pelo direito brasileiro, tendo em vista que o con­ceito de princípio adotado pelos ordenamentos de common law e de civil law são diferentes; o que também ocorre com o modelo alemão. Portanto, conclui-se que a base teórica da teoria neoconstitucionalista brasileira é inadequada e não corresponde à realidade institucional, gerando comprome­timento da segurança jurídica e da ordem social.

Autor/Autores

ANA CAROLINA BORGES DE OLIVEIRA

Advogada. Mestre em Direito e Políticas Públicas pelo Centro Universitário de Bra­sília, UniCEUB. Professora de Direito Civil (Contratos) e de Direito Constitucional na Faculdade Processus. Especialista em Contratos e Responsabilidade Civil pelo Instituto Brasiliense de Direito Público – IDP. Foi aluna pesquisadora bol­sista do 5º Programa de Iniciação Científica do Uni­CEUB (5ºPIC/UniCEUB) e do 6º Programa de Iniciação Científica do CNPq/Uni­CEUB (6º PIBIC/UniCEUB). Foi Monitora e bolsista da Pós-Graduação em Contra­tos e Responsabilidade Civil do IDP.

Sumario

INTRODUÇÃO, p. 15

Capítulo 1 TEORIA GERAL DAS NORMAS, p. 19

1.1 Considerações Iniciais, p. 19

1.2 A Norma como Gênero, p. 20

1.3 O Princípio como Espécie, p. 25

Capítulo 2 O PRINCÍPIO NO SISTEMA DE DIREITO INGLÊS, p. 31

2.1 O Sistema de Direito Inglês, p. 36

2.2 As Alterações do Sistema de Direito Inglês nos Estados Unidos, p. 47

2.3 A Teoria de Princípios de Ronald Dworkin, p. 58

Capítulo 3 A ILUSÃO DO PÓS-POSITIVISMO NO BRASIL, p. 71

3.1 As Bases do Direito Romano-Germânico, p. 71

3.1.1 A família romano-germânica, p. 72

3.1.2 A formação do direito brasileiro, p. 75

3.1.3 A teoria dos princípios de Robert Alexy, p. 90

3.2 A Transposição Inadequada do Conceito de Princípios pelo Pós-Positivismo Brasileiro, p. 99

3.3 As Implicações na Construção de Políticas Públicas, p. 115

CONCLUSÃO, p. 123

REFERÊNCIAS, p. 131

Índice Alfabético

A

  • Alterações do sistema de direito inglês nos Estados Unidos, p. 47

B

  • Brasil. Ilusão do pós-positivismo no Brasil, p. 71

C

  • Conceito. Transposição inadequada do conceito de princípios pelo pós-positivismo brasileiro, p. 99
  • Conclusão, p. 123

D

  • Direito inglês. Alterações do sistema de direito inglês nos Estados Unidos, p. 47
  • Direito inglês. Princípio no sistema de direito inglês, p. 31
  • Direito inglês. Sistema de direito inglês, p. 36

E

  • Estados Unidos. Alterações do sistema de direito inglês nos Estados Unidos, p. 47

G

  • Gênero. Norma como gênero, p. 20

I

  • Ilusão do pós-positivismo no Brasil, p. 71
  • Implicações na construção de políticas públicas, p. 115
  • Introdução, p. 15

N

  • Norma como gênero, p. 20
  • Normas. Teoria geral das normas, p. 19

P

  • Política pública. Implicações na construção de políticas públicas, p. 115
  • Pós-positivismo brasileiro. Transposição inadequada do conceito de princípios pelo pós-positivismo brasileiro, p. 99
  • Pós-positivismo no Brasil. Bases do direito romano-germânico, p. 71
  • Pós-positivismo no Brasil. Família romano-germânica, p. 72
  • Pós-positivismo no Brasil. Formação do direito brasileiro, p. 75
  • Pós-positivismo. Ilusão do pós-positivismo no Brasil, p. 71
  • Princípio como espécie, p. 25
  • Princípio no sistema de direito inglês, p. 31
  • Princípio. Teoria de princípios de Ronald Dworkin, p. 58
  • Princípio. Teoria dos princípios de Robert Alexy, p. 90
  • Princípio. Transposição inadequada do conceito de princípios pelo pós-positivismo brasileiro, p. 99

R

  • Referências, p. 131
  • Robert Alexy. Teoria dos princípios de Robert Alexy, p. 90
  • Ronald Dworkin. Teoria de princípios de Ronald Dworkin, p. 58

S

  • Sistema de direito inglês, p. 36
  • Sistema de direito inglês. Princípio, p. 31

T

  • Teoria de princípios de Ronald Dworkin, p. 58
  • Teoria dos princípios de Robert Alexy, p. 90
  • Teoria geral das normas, p. 19
  • Teoria geral das normas. Considerações iniciais, p. 19
  • Transposição inadequada do conceito de princípios pelo pós-positivismo brasileiro, p. 99