Liberdade no Pensamento Ocidental, A - Tomo 04

Liberdade no Pensamento Ocidental, A - Tomo 04 - Liberdade como Justiça e Desenvolvimento

Flávio Pansieri

Hojear

Versión impresa

por € 14,70 + IVA Añadir a la cesta


Detalles

Autor/Autores: Flávio Pansieri

ISBN v. impressa: 978989712649-9

ISBN v. digital:

Encuadernación: Tapa blanda

Número de páginas: 112

Publicado el: 21/10/2019

Idioma: Português Brasileiro

Sinopsis

O propósito desta obra é conferir enfoque à relação da liberdade com o desenvolvimento. A partir da atualidade, com todo o seu legado pós-guerra fria, o texto transcende os particularismos entre direita e esquerda ao relevar o constitucionalismo democrático como a ideologia vitoriosa para este século. Nesta dinâmica, reconhece-se a necessidade da in­tervenção estatal em alguns domínios para que se detenham as condições fundamentais à garantia do desenvolvimento. Utiliza-se como parâmetro as liberdades instrumentais pensadas pelo economis­ta Amartya Sen, Prêmio Nobel de Economia, como vetor analítico deste plano de igualdade material mínima, dialogando com outros pensadores con­temporâneos que se debruçaram sobre tal questão.

Autor/Autores

FLÁVIO PANSIERI

Pós-Doutor em Direito (USP). Doutor em Direito (UFSC). Mestre em Direito (USP). Conselheiro Federal e Vice-Presidente da Comis­são Nacional de Estudos Constitucionais do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil. Presi­dente do Conselho Funda­dor da Academia Brasileira de Direito Constitucional – ABDConst. Diretor da Escola Judiciária Eleitoral do TSE. Professor Adjunto de Di­reito Constitucional da Pon­tifícia Universidade Católica do Paraná. Sócio da Pansieri Campos Advogados.

Sumario

Capítulo VII POR UM CONCEITO DE JUSTIÇA QUE PRIORIZE A LIBERDADE SUBSTANCIAL, p. 11

7.1 PELO RESGATE DA ÉTICA NA ECONOMIA, p. 11

7.1.1 Economia de Bem-Estar e Condição de Agente, p. 14

7.1.2 Condição de Agente, Bem-Estar e Liberdade, p. 17

7.2 TEORIAS DA JUSTIÇA: AMARTYA SEN E JOHN RAWLS, p. 21

7.2.1 A Teoria da Justiça como Equidade de John Rawls, p. 21

7.2.2 Amartya Sen e a Ideia de Justiça, p. 33

7.2.2.1 A crítica de Amartya Sen ao institucionalismo transcendental: John Rawls, Ronald Dworkin e Robert Nozick, p. 37

7.2.2.2 Por uma justiça focada em realizações, p. 55

Capítulo VIII O CONCEITO DE DESENVOLVIMENTO COMO LIBERDADE EM AMARTYA SEN, p. 59

8.1 DESENVOLVIMENTO COMO LIBERDADE: AS LIBERDADES INSTRUMENTAIS PARA A CONSECUÇÃO DOS OBJETIVOS DE AMARTYA SEN, p. 61

8.2 DEMOCRACIA VERSUS DESEMPENHO ECONÔMICO, p. 72

8.3 LIMITAÇÕES À CONDIÇÃO DE AGENTE: OS DESAFIOS GLOBAIS E REGIONAIS DOS GOVERNOS DEMOCRÁTICOS, p. 79

8.3.1 Globalização e/dos Direitos Humanos: entre Lapsos e Benesses, p. 80

8.3.2 A Fome Coletiva e os Governos Democráticos, p. 85

8.3.3 A Condição de Agente das Mulheres, p. 89

8.3.4 Trabalho e Direitos, p. 93

8.3.5 Democracia e Forças Internacionais do Mercado: o Caso da União Europeia, p. 95

8.4 A GARANTIA DA LIBERDADE COMO DESENVOLVIMENTO SOCIAL, POLÍTICO E HUMANO, p. 96

REFERÊNCIAS, p. 101

Índice Alfabético

A

  • Agente. Condição de agente das mulheres, p. 89
  • Amartya Sen. Conceito de desenvolvimento como liberdade em Amartya Sen, p. 59
  • Amartya Sen. Crítica de Amartya Sen ao institucionalismo transcendental: John Rawls, Ronald Dworkin e Robert Nozick, p. 37
  • Amartya Sen. Desenvolvimento como liberdade: as liberdades instrumentais para a consecução dos objetivos de Amartya Sen, p. 61
  • Amartya Sen. Teorias da justiça: Amartya Sen e John Rawls, p. 21
  • Amartya Sen e a Ideia de Justiça, p. 33

B

  • Bem-estar. Condição de agente, bem-estar e liberdade, p. 17
  • Bem-estar. Economia de bem-estar e condição de agente, p. 14
  • Benesse. Globalização e/dos direitos humanos: entre lapsos e benesses, p. 80

C

  • Conceito de desenvolvimento como liberdade em Amartya Sen, p. 59
  • Conceito. Por um conceito de justiça que priorize a liberdade substancial, p. 11
  • Condição de agente das mulheres, p. 89
  • Condição de agente, bem-estar e liberdade, p. 17
  • Condição de agente. Economia de bem-estar e condição de agente, p. 14
  • Condição de agente. Limitações à condição de agente: os desafios globais e regionais dos governos democráticos, p. 79
  • Crítica de Amartya Sen ao institucionalismo transcendental: John Rawls, Ronald Dworkin e Robert Nozick, p. 37

D

  • Democracia e forças internacionais do mercado: o caso da União Europeia, p. 95
  • Democracia versus desempenho econômico, p. 72
  • Desempenho econômico. Democracia versus desempenho econômico, p. 72
  • Desenvolvimento como liberdade: as liberdades instrumentais para a consecução dos objetivos de Amartya Sen, p. 61
  • Desenvolvimento. Conceito de desenvolvimento como liberdade em Amartya Sen, p. 59
  • Desenvolvimento. Garantia da liberdade como desenvolvimento social, político e humano, p. 96
  • Direitos humanos. Globalização e/dos direitos humanos: entre lapsos e benesses, p. 80
  • Direitos. Trabalho e direitos, p. 93

E

  • Economia de bem-estar e condição de agente, p. 14
  • Economia. Pelo resgate da ética na economia, p. 11
  • Equidade. Teoria da justiça como equidade de John Rawls, p. 21
  • Ética na economia. Pelo resgate da ética na economia, p. 11

F

  • Fome coletiva e os governos democráticos, p. 85
  • Forças internacionais. Democracia e forças internacionais do mercado: o caso da União Europeia, p. 95

G

  • Garantia da liberdade como desenvolvimento social, político e humano, p. 96
  • Globalização e/dos direitos humanos: entre lapsos e benesses, p. 80
  • Governo democrático. Fome coletiva e os governos democráticos, p. 85
  • Governo democrático. Limitações à condição de agente: os desafios globais e regionais dos governos democráticos, p. 79

I

  • Ideia de Justiça. Amartya Sen e a Ideia de Justiça, p. 33
  • Institucionalismo transcendental. Crítica de Amartya Sen ao institucionalismo transcendental: John Rawls, Ronald Dworkin e Robert Nozick, p. 37

J

  • John Rawls. Crítica de Amartya Sen ao institucionalismo transcendental: John Rawls, Ronald Dworkin e Robert Nozick, p. 37
  • John Rawls. Teoria da justiça como equidade de John Rawls, p. 21
  • John Rawls. Teorias da justiça: Amartya Sen e John Rawls, p. 21
  • Justiça. Amartya Sen e a Ideia de Justiça, p. 33
  • Justiça. Por um conceito de justiça que priorize a liberdade substancial, p. 11
  • Justiça. Por uma justiça focada em realizações, p. 55

L

  • Lapso. Globalização e/dos direitos humanos: entre lapsos e benesses, p. 80
  • Liberdade substancial. Por um conceito de justiça que priorize a liberdade substancial, p. 11
  • Liberdade. Conceito de desenvolvimento como liberdade em Amartya Sen, p. 59
  • Liberdade. Condição de agente, bem-estar e liberdade, p. 17
  • Liberdade. Desenvolvimento como liberdade: as liberdades instrumentais para a consecução dos objetivos de Amartya Sen, p. 61
  • Liberdade. Garantia da liberdade como desenvolvimento social, político e humano, p. 96
  • Limitações à condição de agente: os desafios globais e regionais dos governos democráticos, p. 79

M

  • Mercado. Democracia e forças internacionais do mercado: o caso da União Europeia, p. 95
  • Mulher. Condição de agente das mulheres, p. 89

P

  • Pelo resgate da ética na economia, p. 11
  • Por um conceito de justiça que priorize a liberdade substancial, p. 11
  • Por uma justiça focada em realizações, p. 55

R

  • Realizações. Por uma justiça focada em realizações, p. 55
  • Referências, p. 101
  • Robert Nozick. Crítica de Amartya Sen ao institucionalismo transcendental: John Rawls, Ronald Dworkin e Robert Nozick, p. 37
  • Ronald Dworkin. Crítica de Amartya Sen ao institucionalismo transcendental: John Rawls, Ronald Dworkin e Robert Nozick, p. 37

T

  • Teoria da justiça como equidade de John Rawls, p. 21
  • Teorias da justiça: Amartya Sen e John Rawls, p. 21
  • Trabalho e direitos, p. 93

U

  • União Europeia. Democracia e forças internacionais do mercado: o caso da União Europeia, p. 95